quarta-feira, agosto 30, 2006

Eles também são virgens

Pois é: os homens também são virgens. E também se resguardam, esperando o momento ideal, “aquela” pessoa, contrariando as pressões de uma sociedade que ainda trata homens e mulheres de forma diferente, quando se trata de virgindade...Toda a gente conhece pelo menos uma história de adolescentes que se iniciam nas lides da sexualidade procurando a “ajuda” de uma profissional, uma mulher mais velha, mais experiente, que os vai “libertar” do rótulo de “virgens”.

Tudo isto porque, tradicionalmente, a sociedade exige aos homens – ou melhor, aos rapazes – que deixem de ser virgens. E quanto mais depressa possível, sob pena de serem olhados de lado e, quem sabe, apelidados de homossexuais.

Sobre as mulheres, a pressão é outra, de sentido exactamente oposto: virgem até ao fim, isto é, até ao casamento, é o que delas se espera. Se acontecer de outra forma, sujeitam-se a considerações menos polidas, que põem em causa a sua integridade moral.

Tradicionalmente, às mulheres cobra-se a experiência sexual, a mesma experiência que se exige aos homens. E isto porque desde sempre a construção da identidade masculina esteve associada à virilidade, à potência, à competição.

Que é socialmente reprovado ser-se homem e virgem explica-se facilmente com o facto de poucos rapazes terem coragem de comentar com os amigos que ainda não tiveram o seu primeiro contacto sexual.Um rapaz virgem não diz abertamente aos amigos que o é, por recear ser humilhado ou mesmo excluído pelo grupo. O mais certo é que mintam, vangloriando-se de uma vivência que ainda desconhecem, de tal modo a virgindade é sinónimo de insucesso ou falta de atributos.
(adaptado de www.anf.pt)
Hoje em dia já é menos usual uma descriminação tão acentuada. Ela existe ainda, mas em alguns casos já não se cobram estas ideias de modo tão acentuado. Já é, de certo modo, aceitável que uma rapariga não vá virgem para o casamento (aliás, já é bastante raro, embora agora existam movimentos e grupos que decidiram reinstaurar a ideia de "virgens até ao casamento"... para ambos os sexos) e que um rapaz espere até encontrar a "rapariga certa". Continua, contudo, a haver uma certa tendência para pensar que o rapaz que tem muitas raparigas é "garanhão" e a rapariga que tem muitos namorados é fácil...